Blog

6 mulheres que revolucionaram os jogos

Postado em 14 de setembro de 2017 - por codeBuddy

Apesar de ainda ser um universo com muitos homens, a verdade é que o meio geek sempre foi marcado por mulheres que revolucionaram os games. E não podemos nos esquecer disso diante da escassez de mulheres líderes na tecnologia. Por isso, selecionamos seis mulheres que revolucionaram os jogos.

Sabemos o quanto é essencial incentivar que mais mulheres e, principalmente, que mais meninas estejam engajadas com as áreas tecnológicas. Afinal, foi-se o tempo em que só meninos podiam se interessar pelos conhecimentos do campo das ciências exatas.

Temos até um movimento dedicado a promover a inclusão feminina desde cedo no mundo da tecnologia, que batizamos de Code Like a Girl. Além de incentivar meninas em nossos cursos de programação, estamos sempre divulgando descobertas, histórias e inovações feitas por mulheres.

Aliás, as mulheres que mostraremos aqui neste artigo fizeram história no meio da programação. São mulheres que foram conquistando um espaço que sempre lhes foi de direito. Um estudo do Woman in Technology mostrou que temos um dever imenso pela frente:

mulheres na tecnologia

Faltando inscrições, vamos inspirar e mostrar que é possível. Se faltam oportunidades e experiência, nosso movimento Code Like a Girl estimula que elas sejam criadas. Se falta educação, bem, é por isso que estamos aqui.

Mulheres podem programar, e veremos agora algumas que fizeram total diferença nesse mundo (ainda) tão masculino:

Carol Shaw

Carol Shaw

É impossível começar essa lista e não citar Carol Shaw! Nascida na Califórnia, Shaw é considerada a primeira mulher programadora de games do mundo.

Ela começou sua carreira na Atari e participou da criação do 3D Tic-Tac-Toe para o Atari 2600. Construiu seu mais famoso jogo, River Raid, em 1982 na Actvision e viu sua criação se tornar um clássico.

Aposentou-se em 1990 e foi reconhecida em 2017 quando recebeu o prêmio “Industry Icon Award” no evento The Game Awards.

Roberta Williams

Roberta Williams

Co-fundadora e game designer da Sierra Online (atualmente conhecida como Sierra Entertainment), Roberta Williams tornou-se famosa após a criação da série King’s Quest, em 1984.

É à ela que se atribui a criação do gênero de jogos chamado “aventura gráfica”, e foi contemplada com o mesmo prêmio que Carol Shaw, porém em 2014. Seu trabalho mais influente se deu entre os anos de 1980 e 1990, encerrando-se em 2014 com Odd Manor.

Ou pelo menos é isso que achamos, pois a longa pausa entre King’s Quest: Mask of Eternity e este último jogo nos deixa uma esperança de ainda acompanhar mais algum lançamento exclusivo seu. Dedos cruzados!

Rieko Kodama

Rieko Kodama

Considerada a “Primeira-dama” dos jogos de RPG no Japão, Kodama é criadora da série de jogos eletrônicos Phantasy Star, produzida para ninguém menos que a SEGA.

Com suas muitas versões e capítulos (e até mesmo uma série online), seu jogo traz uma ambientação futurista e repleta de fantasia. A missão é combater monstros usando inteligência, armas, magias e até veículos.

Ah, lembra que estávamos relembrando os bons tempos de Sonic? Rieko foi designer gráfica dos jogos Sonic lançados em 1991 e 1992. Ultimamente seu trabalho tem focado mais na produção, sendo os últimos lançamentos a série 7th Dragon para Nintendo e para PlayStation.

Jade Raymond

Jade Raymond

Com menos de 35 anos, Raymond já tinha se aventurado na produção de dois dos jogos mais conhecidos dos anos 2000: Assassin’s Creed e The Sims, o primeiro pela Ubisoft e o segundo pela Eletronic Arts.

Não à toa ela foi uma das poucas executivas relacionadas a jogos a ocupar posição na lista da revista Variety que reúne os líderes executivos mais influentes de 2018.

Nesse mesmo ano, ela deixou o trabalho na EA, aparentemente sem maiores justificativas. Em 2019, Raymond foi anunciada como vice-presidente do Google com a missão de liderar o primeiro estúdio de game da empresa.

Yoko Shimomura

Yoko Shimomura

A mais famosa compositora do universo dos videogames tem nome e é Yoko Shimomura! Ela começou a carreira compondo trilhas sonoras para jogos em 1988 e ficou marcada pelos sucessos de Street Fighter II, Final Fight e da franquia Mario e Luigi.

Entretanto, seu maior feito é particularmente especial. A trilha sonora do jogo Kingdom Hearts é toda feita por ela. Vale conhecer seu trabalho:

Rhianna Pratchett

Rhianna Pratchett

Pratchett é conhecida por muitos feitos, mas talvez o maior deles seja justamente a famosa Tomb Raider. Rhianna foi responsável por toda a narrativa do jogo lançado em 2013 e, depois, em 2015.

Escritora e jornalista, trabalhou para a SEGA, para a Ubisoft, para a EA e muitas outras empresas reconhecidas no mundo de jogos.

Além disso, escreveu a história em quadrinhos Tomb Raider: The Beginning lançada pela Dark House em 2013, e Mirror’s Edge, em 2008, para a DC Comics.

Tanto talento resultou em cinco nomeações a prêmios mundiais e quatro conquistas. Talvez você esteja se perguntando se esse sobrenome soa comum…

Bem, deveria soar. Ela é filha de Terry Pratchett, autor renomado de fantasia, lançado no Brasil pela editora Bertrand Brasil, do Grupo Editorial Record. Tal pai, tal filha, não é?

infográfico mulheres na tecnologia

Compartilhe esse texto

Tags:

< Blog >

Outros artigos

6 perguntas sobre ensino de tecnologia para crianças que ouvimos sempre

6 competências que ensinamos na codeBuddy sobre segurança na internet

6 competências importantes para segurança na internet

4 coisas que você precisa saber sobre a Educação 4.0

4 coisas que você precisa saber sobre a Educação 4.0

O que é metaverso e qual a sua relação com a educação infantil?

Cultura e tecnologia: entenda essa relação e sua importância para o futuro

3 brinquedos DIY recicláveis para fazer com o que você tem em casa

10 brinquedos do Walt Disney World para jovens e crianças ultra digitais

3 séries do Disney Plus para crianças e jovens que amam tecnologia