Blog

Qual a idade certa para criar conta nas redes sociais?

Postado em 26 de setembro de 2018 - por codeBuddy

Uma das perguntas mais feitas pelos responsáveis é, na verdade, um questionamento simples: qual é a idade certa para criar conta nas redes sociais?

Afinal, vivemos em plena era da informatização e democratização das redes sociais, com o advento de apps que integram nossas vidas e da inserção cada vez mais precoce de crianças e adolescentes no mundo online.

A primeira coisa para ter em mente é que a idade não significa muita coisa se outros fatores não forem observados. Todas as crianças são diferentes e apresentam particularidades quanto à mentalidade, maturidade e inclinações.

É claro que existe uma diferença significativa entre uma criança de 8 anos e uma de 14. No entanto, é somente a atenção dos pais que pode indicar uma boa saída para a questão das redes sociais.

O fato é que há um consenso dos próprios serviços quanto à idade mínima para o uso de suas plataformas: 13 anos. No entanto, essa restrição de idade não está diretamente relacionada com uma preocupação dos gestores dessas redes com a segurança das crianças.

menino com o pai entendendo a idade certa para criar conta nas redes sociais

Na verdade, o limite de 13 anos tem origem no COPPA (em inglês: Ato de Proteção da Privacidade das Crianças Online). Esse ato, afirmado nos EUA, proibiu que as plataformas coletem dados pessoais de crianças para utilizarem em seus mecanismos de propaganda.

Nesse sentido, não é proibido que menores de 13 anos utilizem as redes sociais! É proibido que seus dados sejam coletados e mercantilizados pelas plataformas que conhecemos.

Coincidência ou não, é também aos 13 anos que a criança começa a entender melhor seu papel no mundo e suas responsabilidades. Geralmente seus amigos já estão com celulares, os jogos digitais já fazem parte da rotina e já existe uma certa cobrança (e necessidade) por fazer parte de um grupo, algo tão importante nessa fase quanto na adulta.

Mas, sem dúvida, a melhor forma de lidar com o assunto é ir além de dados estatísticos e sociais. E, para isso, sugerimos quatro passos:

  • Compreenda as reais necessidades do seu filho
  • Compreenda porque ele quer usar uma rede social
  • Compartilhe as responsabilidades que isso traz
  • Explique que haverá um acompanhamento que não interfere na individualidade do seu filho

Com esses quatro passos, você vai se sentir mais tranquilo em liberar o uso da internet, comprometendo-se a respeitar o espaço do pequeno, e ainda vai ensiná-lo a usar a tecnologia com responsabilidade.

Compreender e ensinar a respeito do funcionamento das redes sociais

Para ensinar, é preciso aprender. Por isso, tome um tempo para conhecer os mecanismos de cada plataforma para utilizar a tecnologia a seu favor. Uma das principais tecnologias para ajudar os pais no controle da segurança dos filhos é compreender muito bem as configurações de privacidade das principais redes e apps que utilizam.

Por meio delas é possível, por exemplo, controlar se o conteúdo postado é público ou privado e quem vê o quê. Uma conta fechada no Instagram, por exemplo, é uma opção mais segura para crianças e adolescentes.

Elas devem entender que as publicações são, literalmente, públicas. Ou seja, estão no mar de informação da internet e dificilmente podem ser completamente apagadas. O mesmo pode ser dito do ato de compartilhar informações pessoais como endereço ou números de documentos.

Acompanhar o uso das redes sociais respeitando o espaço pessoal

É muito importante acompanhar o uso que as crianças fazem das redes sociais. Ao menos no início, criar uma conta na rede que usam, seguir e se tornar amigo é uma boa opção também.

Algumas redes sociais são mais amigáveis para as crianças e adolescentes, como o Snapchat, então se você desconfia do uso que podem fazer das redes, é importante limitar o acesso delas às plataformas que você consegue acompanhar.

Não se trata de cair na paranoia, seguindo cada passo das crianças. Depois de certo tempo, esse acompanhamento pode ser aliviado, mas no começo pode ser uma estratégia importante até que os pais se sintam seguros.

Resumindo, podemos dizer não existe uma idade certa para criar conta nas redes sociais — tudo é uma questão de compreender a personalidade e as necessidades de cada criança. Além disso, é sempre importante lembrar que elas devem ser ensinadas a serem respeitosas.

Um dos maiores problemas da internet é justamente a sensação de que as ações não têm consequência. Além de proteger seu(a) filho(a) dos riscos da vida online, certifique-se de que ele(a) não está desrespeitando ninguém ou praticando cyberbullying. Você pode ler mais sobre isso acessando nosso artigo sobre Inteligência Emocional Digital.

e-book youtube na infância

Compartilhe esse texto

Tags: ,

< Blog >

Outros artigos

6 perguntas sobre ensino de tecnologia para crianças que ouvimos sempre

6 competências que ensinamos na codeBuddy sobre segurança na internet

6 competências importantes para segurança na internet

4 coisas que você precisa saber sobre a Educação 4.0

4 coisas que você precisa saber sobre a Educação 4.0

O que é metaverso e qual a sua relação com a educação infantil?

Cultura e tecnologia: entenda essa relação e sua importância para o futuro

3 brinquedos DIY recicláveis para fazer com o que você tem em casa

10 brinquedos do Walt Disney World para jovens e crianças ultra digitais

3 séries do Disney Plus para crianças e jovens que amam tecnologia